Índice de Artigos

As migrações para os estados de Ohio e Virginia do Oeste

 
Um dos exemplos mais dramáticos de movimentos migratórios ocorreu em 1789 entre membros da igreja de Shrewsbury ao norte de New Jersey. Membros da igreja local decidiram vender o templo e emigrar para o oeste. Dez famílias decidiram colocar seus pertences em carroções e jornadearam até chegar às partes selvagens de Virginia do Oeste. A eles se juntaram outros das igrejas de Piscataway e da área da Philadelphia, de modo que 70 pessoas participaram ao todo deste êxodo. Eles pararam por algum tempo no condado de Fayette, na Pensilvânia, onde uma igreja tinha sido estabelecida em Woodbridgetown, fundada por irmãos vindos de Piscataway e conversos batistas da congregação local do primeiro dia. Deste portal de acesso, o êxodo moveu-se rumo ao sul subindo junto ao rio Monangahela até Ten Mile Greek. Em 1792 foi constituída a igreja de Salém, em Virginia do oeste, embora os registros a definam como uma extensão da igreja de Schrewsbury. Ao longo do século seguinte mais de uma dúzia de igrejas foram estabelecidas entre as montanhas e cursos d’água de Virginia do Oeste em lugares tais como Lost Creek (1.805), Middle lsland (1.832), Berea (1.870), Greenbrier (1.870) e Roamoke (1.872).
 
Desta área do oeste de Virginia (que se tornou o estado de Virginia do Oeste durante a guerra civil) uma corrente migratória cruzou o rio Ohio adentrando o velho território a noroeste. Os assentamentos de batistas do sétimo dia foram feitos em Todd-Fork, Mud Run, Mad River e Morth Hampton no Ohio.
 
A igreja de North Hampton foi estabelecida em 1837. Outras igrejas se seguiram, Jackson Center (1.840), Porth Jefferson (1.840), Stokes (1.842), e Sciota (1.842).
 
A partir destas igrejas a migração continuou adentrando Indiana, Illinois e Iowa. Eles se uniram com outros e se estabeleceram em áreas da grande planície.